SPFW Verão 2013 – Dia 3

Quando o assunto é moda praia a marca Água de Coco assinada por Liana Thomaz não era. Nessa coleção as cores predominates foram o branco sujo, marfim e o dourado. Nessa temporada de Verão, a label teve como inspiração a Turquia só não levando em concideração os minúsculos maiôs, estilo bem brasileiro, mas para não perder o glamour da marca os tops eram grandes. Liana usou muito sintético como sua materia prima e trabalhou com ele de diversas formas: tramas e tranças, incluindo uma que imita palha.

Sempre pensando na mulher urbana e intelectual, a Uma, trouxe para sua coleção de verão o que sempre foi esperado pela marca, roupas confortáveis, calças largas, saia-calça, vestidos longos sem manga e curtos assimétricos. Por ser uma coleção como eu já havia dito, urbana, as cores predomintantes são o Preto, Branco e Azul. Estilista: Raquel Davidowicz.

Com a coleção inspirada na Bahia, Adriana Degreas mostrou sua versão para os hits que vão ser a coqueluche desse verão: tramas, metalizados & sedas. Tudo muito elegante e com a cara do nosso Brasil.

Com a pláteia cheia de globais a marca Forum volta ao SPFW após 6 anos de ausência. Nesse debut a label deixou o minimalismo de lado e trouxe uma coleção cheia de estampas e texturas. Os poucos jeans com recorte de tecido costurado dava a impressão de pinceladas de tinta. Não gostei muito do que foi apresentado, mas as boas-vindas da Forum tá valendo!

Fotos: Charles Naseh | Chic

SPFW Inverno 2012 – Dia 5

O penúltimo dia de desfile foi aberto pela gloriosa Gloria Coelho, que teve como inspiração o neutrinos, os vulcões e os anos 30, 50, 60 e 90. Podemos perceber uma “reciclagem” de algumas peças nessa nova coleção: roupas em pétalas de organza, os jabôs, as jaquetinhas e as calças bicolores, as mangas pelerine, os longos em pastilhas de cetim. Mas o mimo dessa temporada são os sapatos coloridos: Ankle Boots e Mary-Jane.

Danielle Jensen estilista da Maria Bonita, apresentou uma coleção inspirada nas terras e cores do Brasil. Teve como materia-prima o tricô escovado, redes de canutilhos, franjas de látex e lã. Pecou apenas na cartela de cores e no shape dos looks, muito largos.

UMA Raquel Davidowicz esta de volta ao SPFW, sua última coleção apresentada foi a de Verão 2010. A label marcou presença no Minas Trend Preview (business meeting em Belo Horizonte) e apresentou o mesmo show no SPFW, talvez pecou aí! O alvo de Minas não é o mesmo de São Paulo, a proposta destou um pouco. O inicio da coleção parecia ter sido criada para os “mosteiros” e “conventos” de Belo Horizonte. Quase uma coleção de época, Feudalismo, lembra? A coleção foi ganhando forma no decorrer do catwalk.

Novamente tiro o chapéu para o mineiro João Pimenta, desde Casa de Criadores que acompanho suas criações e essa sem sombra de dúvida foi a melhor já feita. Inspirado na imagem surreal dos Steampunks, tribo que mistura o passado estético do século 19 com um futuro idealizado, homem nesse inverno vai estar elegante com coletes de jacquard e alfaiataria clássica.

Lino Villaventura deu um show no penúltimo dia de SPFW. Apresentou um desfile com temática dark, um pouco medieval de reis e rainhas. Muita sobreposição e bastante transparência. Toda vez que vejo qualquer desfile de Lino eu mantenho a mente aberta e tento viajar no mundo que ele, com maestria. Nessa coleção eu me senti no filme “Mirror Mirror” que nem foi lançado ainda. Coleção poderosa, uma das melhores em minha opinião.

Fotos: Charles Naseh | Chic