O Que Estou Ouvindo No Momento… Part 2

Nossa! Ano passado postei aqui o que estava ouvindo naquele momento (confira aqui), como demorei para fazer um novo post, quando o assunto se trata de música todos os dias existem novidades. E para começar, para essa garota nem tudo se trata de “money“. “Não é sobre o dinheiro, dinheiro, dinheiro (It’s not about the money, money, money)… Nós apenas queremos fazer o mundo dançar (We just wanna make the world dance)“.

Jessie J. – Who You Are: Essa garota entrou no cenário musical com força total! Na minha opinião o seu single de debut foi “Price Tag“, mas a música que me fez prestar atenção de verdade nessa britânica foi “Domino“! Essa música é viciante, têm vezes que estou fazendo algo e ela fica no repeat e ouso até cansar! O álbum de estréia têm outras músicas bacanas: Nobody Perfect; Abracadabra; Who’s Laughing Now e Big White Room. Antes do sucesso, Jessie escreveu canções para Miley Cyrus, Justin Timberlake, Rihanna e outros. #Adoro!

Joe Jonas – Fastlife: Sim! Gosto de um dos Jonas Brothers! O garoto cresceu e se jogou em carreira solo e o que me chamou atenção no rapaz foi o clipe de “Just In Love“. Xonei! rs
Quando ouvi o CD por inteiro eu “Xonei! x2“. Muito bom! Dançante e com uma ótima sonoridade. Pop como deve ser. Os pontos altos do álbum: Just In Love (como já falei); See No More; Love Slayer; Fastlife; Make You Mine; Sorry; Not Right Now; Take It And Run. Enfim, quase o CD todo!

Nani Azevedo – Excelência (Ao Vivo): Você já ouviu música por tabela?! Quando o seu vizinho liga o som no último volume?! Na maioria das vezes o som da casa ao lado nem sempre é o que gostamos, mas dessa vez minha vizinha acertou. É um CD gospel, por isso me senti tocado, parecia que a mensagem estava vindo direta para mim. Peguei um trecho da música, joguei no Google e pronto! As letras e as melodias são bonitas, quando sobrar um tempo ouça a faixa “Os Sonhos de Deus“, foi exatamente essa música que me tocou! Outras especias: Espirito de Adorador; O Melhor Dessa Terra e Deus Todo Poderoso.

Whitney Houston – I Look To You: Infelizmente tivemos uma grande perda no mundo da música, perdemos sua melhor voz, Whitney Houston. Não existe parte boa quando um artista ou um icone morre, mas se pudemos dizer de tal forma a “parte boa” e o legado, sua obra que fica para o todo sempre, e Whitney soube faze-lo com maestria.
Lembro como se fosse ontem quando ganhei o LP do filme “O Guarda-Costa” de amigo secreto do colégio. Recordo que era um disco que todo mundo estava pedindo e eu fiz o mesmo sem saber quem cantava e nunca tinha visto o filme (fui vê-lo depois de anos), quando ouvi pela primeira vez fiquei fascinado! Comecei a cantar que nem a Whitney e da sala ouvia os gritos do meu pai: Canta que nem homem! (risos).
Seu último lançamento foi em 2009 e embalou muitos casais com a música titulo do álbum “I Look To You“.
Gosto desse CD desde sua primeira faixa que canto em alto e bom tom, “Million Dollar Bills” até “Salute“, a última música. Álbum memorável, cantora incomparável. Just Whitney… RIP.

Aura Dione – Before The Dinosaurs: Se não fosse pelo video da música “Friends” que o Tiago Paulino postou no Facebook eu não teria conhecimento dessa mocinha. Meio Britney Spears e Lady Gaga, mas intrigante de sua maneira. Gostei do clipe de “Friends” e desde então não paro de ouvir seu CD. Engraçado como ela lembra um monte de artistas, no clipe de “Geronimo“, primeiro single e música que abre o CD, ela lembra um pouco a Shakira e a Jennifer Lopez. As melhores do álbum: Geronimo; In Love With The World; Friends; Into The Wild; Superhuman e Before The Dinosaurs.

Jukebox… O Que Estou Ouvindo No Momento

Uma das coisas que mais amo nessa vida, música, foi alimentado da forma mais eclética possível nesse Natal… De Adele à Jesse McCartney! Nessa época do ano as gravadoras para alavanca as vendas disparam um monte de lançamentos, fico com pena do meu bolso! rs

Adele – Live at the Royal Albert Hall: Não tem como não se apaixonar por esse show. Muitas das vezes que ouço suas músicas fico um pouco deprimido, por “N” motivos, mas o som de sua voz é viciante, impossível ficar sem ouvir. Mesmo tendo uma força dramática em suas canções, todas elas trazem à tona um misto de emoções.
São os tipos de músicas que você diz “Essa ela escreveu exclusivamente para mim“. Nesse caso, a minha seria “I Can’t Make You Love Me“.

Laura Pausini – Inedito: São poucas as cantoras que eu sinto cantar com paixão de verdade. Muitas adoram mostrar a potência vocal, mas essa italiana canta com a alma.
Depois de 2 anos afastada eis que lança um álbum inédito, chamado de “Inedito“.
Gosto bastante de “Non Ho Mai Smesso“, “Nel Primo Sguardo” que ganhou uma versão em português, “No Primeiro Olhar”  e “Come Vivi Senza Me“.

Rihanna – Talk That Talk: Essa garota não para! Um lançamento atras do outro, e o melhor que são músicas maravilhosas, todas feitas para dançar até as mais lentinhas.
Where Have You Been” espero que seja uma das próximas músicas que eu dance na balada, pois essa é f*&%! (detalha que a música possui apenas um verso e um refrão).
We Found Love” é a música do momento. Gostei das batidas de “Talk That Talk“, “Roc Me Out” e “Watch N’ Learn“.

Jesse McCartney – Have It All: Só fiquei sabendo que o garoto é ator quando “googlei” o nome dele no site de busca.
Para quem gosta de “Pop” de verdade esse álbum é um prato cheio.
Lembra um pouco o Justin Timberlake na fase N’Sync. Gostei das faixas “Club Hop“, “I Think She Likes Me“, “Tonight Is Your Night” e “Mrs. Mistake“.

Kylie Minogue – Aphrodite Les Folies (Live In London): Kylie é Kylie… Um dos melhores shows de sua carreira! Ela sempre surpreende, não tem como piscar os olhos quando ela esta em cena.
Coreografia, figurino, cenário, dançarinos, tudo impecável. “In My Arms” é mágica para os olhos, e o ponto alto do show não deixa de ser um cover da banda Eurythmics, “There Must Be An Angel“. O climax fica à cargo dos efeitos visuais e da fonte de água humana na canção “All The Lovers“.

Meu Encontro Com a Britney Spears

Pois é, tive um encontro marcado com a Britney Spears ontem, eu e uma multidão de fãs! A última tour da cantora passou pelo Brasil e eu marquei presença, The Femme Fatale Tour!

Minha curiosidade era tanta que acabei assistindo o show que passou pela internet antes, no site Epix, e tomei um banho de água fria! Acostumado à ver uma Britney Spears que “detona” em suas performances, acabei vendo uma Britney sem sal, que ficava andando de um lado para o outro e nos climax das músicas preferia fazer coreografias com as mãos e ficar jogando o cabelo “aka” Joelma (Banda Calypso).

Só que eu esperava mais para o show de São Paulo, comecei a ler as críticas de diversos sites sobre o show dela no Rio de Janeiro, todas super positivas, e comecei a criar um fio de esperança.

Dia do show, em minha cia: Tiago P! Chegamos na fila exatamente as 14:30 e um batalhão de fãs, alguns à caráter (com cópias de roupas que Britney usa em seus clipes) marcavam o ponto, sendo que alguns chegaram um mês antes. E nesse exato momento me caiu a ficha “Caraca, vou asssistir a um show da Britney Spears.”
Horas intermináveis debaixo de sol e os portões da Arena Anhembi abriram as 18, e lá fomos nós para o Round 2 na espera pela Britney.

Ficamos em um local ótimo, sem empurra-empurra (até o momento) mas não conseguimos descansar, muitas pessoas estavam sentadas no chão e quando as Dj’s do Copacabana Club começaram a discotecar e que todos que estavam sentados se levantaram começou o show de empurra-empurra, nesse momento ficamos mais proximo ainda do palco.
Se ficar esperando um show começar já não é lá essas coisas, imagine ficar esperando com música ruim!? Ficou interminável!  Será que as meninas do Copacabana Club não sabia que o show era de uma cantora pop? Só elas dançavam… Tocaram mais de 1h de música e apenas 3 músicas se salvaram: Madonna, Adele e Rihanna. Saíram vaiadas… #Fail.

No telão um cronometro dava a contagem regressiva para o começo do show, nem preciso dizer que quando chegou nos 10 segundos finais a Arena veio abaixo!
Britney Spears! Linda, poderosa, e um pouco mais esguia… Ela sabe preencher um palco como ninguém. A melhor parte do show foi o bloco Egípcia, no qual ela canta: Gimme More; (Drop Dead) Beautiful; Don’t Let Me Be To Last To Know; Boys. Sem contar: I Wanna Go; Womanizer; Toxic & Till The World Ends (Todos da Pista Premium foi à loucura! Eu me acabei!). Abaixo algumas fotos, a resolução do meu celular era bem melhor, mas a bateria arriou na primeira parte do show.

Faltou um pouco de carisma, ela disse as mesmas coisas que eu havia visto no show anterior, robótica demais, poderia ter conversado mais com a platéia. Claro, não posso tirar que a excitação de pular junto aos fãs em todos os climax das músicas ajudou muito, e é ponto à favor a lady Britney, mas o show pecou nisso, como eu não fui esperando muito, o show cumpriu sua missão. Podemos dizer que The Femme Fatale Tour é o retorno oficial da Britney Spears ao show business com força total! Torco que os tempos tortuosos da carreira dela tenham ficados bem longe, em um passado longínquo. Good luck Britney!